1a sessao de Journal Club-2014

No dia 30 de Abril de 2014 deu-se a abertura das sessões do Journal Club na UCM-FCS do ano lectivo 2014.

Para esta primeira sessão tivemos a discussão de um tema que consistiu em um estudo efectuado na cidade da Beira pelos funcionários do CIDI.

Apresentação do tema discutido

Titulo : Prevalência, incidência e determinantes da infecção pelo Vírus Herpes Simplex tipo 2 em mulheres de alto risco de infecção pelo HIV : um estudo prospectivo na Beira, Moçambique

AUTORES
Ivete Meque¹*, Karine Dubé2,3 , Paul J. Feldblum², Archie C.A. Clements4, Arlinda Zango1, Fidelina Cumbe1, Pai Lien Chen2, Josefo J. Ferro1, Janneke H. van de Wijgert5,6
AFILIAÇÕES
1 UniversidadeCatólica de Moçambique (UCM), Centro de Investigação de DoençasInfecciosas Beira (CIDI), Moçambique
2 FHI 360, Clinical Sciences Unit, Durham, North Carolina, USA
3 United States Military HIV Research Program (MHRP), Henry M. Jackson Foundation for the Advancement of Military Medicine, Inc. (HJF), Bethesda, Maryland, USA
4 University of Queensland, Infectious Disease Epidemiology Unit, School of Population Health, Brisbane, Australia
5 Amsterdam Institute for Global Health and Development (AIGHD) and Academic Medical Center of the University of Amsterdam, Amsterdam, The Netherlands
6 University of Liverpool, Institute of Infection and Global Health, Liverpool, United Kingdom
RESUMO
Objectivos:Estimar a prevalência, incidência e determinantes da infecção pelo vírus herpes simplex tipo 2 (HSV-2) e as associações entre o HSV-2 e a infecção incidente do HIV em mulheres de alto risco de infecção pelo HIV na Beira, Moçambique
Métodos: Entre 2009 e 2012, 411 mulheres de 18–35 anos de idade e de alto risco de aquisição do HIV (definido como tendo tido dois ou mais parceiros sexuais no último mês antes do registro ao estudo) foram registradas e seguidas mensalmente por uma ano. Em cada visita de estudo, as mulheres foram aconselhadas, entrevistadas e testadas para anticorpos do HSV-2 e HIV.
Resultados: A prevalência inicial do HSV-2 foi de 60.6% (95% IC: 55.7% – 65.4%). Aumento da idade (OR= 2.94, 95% IC: 1.74 – 4.97, P<0.001 e OR=3.39, 95% IC: 1.58 – 7.29, P=0.002 para as faixas etárias de 21-24 e 25-35 anos respectivamente), baixo nível de educação (OR= 1.81, 95% IC: 1.09 – 3.02, P=0.022), trabalho a tempo inteiro (OR= 8.56, 95% IC: 1.01 – 72.53, P=0.049) e ter practicado sexo oral (OR= 3.02, 95% IC: 1.16 – 7.89, P=0.024) foram fortemente associados com a infecção prevalente do HSV-2. Trinta e uma participantes seroconverteram para HSV-2 (incidência cumulativa de 20.5%; 95% IC: 14.4% – 27.9%) e 22 para HIV durante o período do estudo. A frequência de sexo vaginal com um parceiro ocasional nos últimos 7 dias foi independente e associado com infecção incidente do HSV-2 (aOR=1.91, 95% IC: 1.05–3.47, P=0.034). A serologia inicial positiva do HSV-2 não foi significantemente associada com a seroconversão subsequente ao HIV .
Conclusões: Mulheres jovens com comportamento sexual de alto risco na Beira tiveram alta prevalência e incidência de infecção pelo HSV-2. A intensificação de estratégias primárias de controlo do HSV-2 é urgente e poderá contribuir para a redução de novas infecções pelo HIV e HSV-2.

Principais pontos de discussão na sessão :

  • O que a população considera de comportamentos de riscos e sua repercussão ;
  • Vigilância nas unidades sanitárias : todos os pacientes com HSV 2 são testados para HIV ? Qual a situação do nosso centro de Saúde CSSL;
  • Mensagens a serem disseminadas na comunidade para perceberem que existe uma associação entre HSV2 e HIV;